Make your own free website on Tripod.com
 


 
 

 

Pave'esheeva
DUCA
Vão aqui algumas reminiscências.
Década de 40: ainda criança, às vezes tio Yvon e tia Esther (ainda noivos) passavam em nossa casa na Marechal Deodoro de automóvel (um HUDSON modelo 42 que era um senhor automóvel) e convidava os quatro (Thereza, Francisca, João Baptista e eu) para dar uma volta. A CATH ainda não tinha nascido. Como era o menor, ia na frente no colo de tia Esther. Nessa ocasião ganhei de presente de aniversário um conjunto para fazer bolas de sabão (que alegria!). Depois disto veio o casamento. Para nós meninos um festão.
Tio Yvon e Tio Geraldo eram os que cuidavam de nossa saúde.
Década de 50: Naquela ocasião eu gostava muito de astronomia e de astrofísica e por muitas vezes fui à Rio Doce para compartilhar com os grandes conhecimentos, na mesma área, do tio Yvon. A casa tinha somente a laje para a qual nós subíamos à noite para apreciar as estrelas. Por muitas vezes observamos as constelações do Escorpião, Sagitário e Capricórnio bem como o movimento dos planetas. O tio Yvon me emprestou vários livros que possuia sobre astrofísica, cosmogonia e teoria da relatividade.
É uma fase de minha vida que não esqueço. Em muitos sábados, à tardinha, me dirigia para a Rio Doce e ele lá estava me esperando. Onde a gente se encontrava (na Parauna, na Lavras ou mesmo na rua) sempre sobrava assunto.
A partir de 60 entrei para a faculdade de medicina o que muito me absorveu e em 68, após terminar a residência, vim para Barbacena.
Tio Yvon e tia Esther estiveram aqui nos visitando por ocasião do nascimento do Frederico pois tinham vindo visitar os Bias Fortes devido ter falecido o Simão (os dois fatos ocorreram no mesmo dia).
Depois contarei alguns fatos pitorescos.
Também contarei a passagem do respeitável Domiciano por Barbacena. É uma história interessante pouco conhecida pela família.
Abraços Mantsi
Leonardo
(nanoshe'hame)
04/04/2004

volta